segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

Fibras alimentares: fontes e benefícios




Fibras alimentares são resíduos de células vegetais que não são digeridas pela parte superior do nosso aparelho digestivo. São compostas de celulose, oligossacarídeos, pectina, goma e ceras.


Fibras alimentares: fontes e benefíciosA passagem das fibras pelo aparelho digestivo produz vários efeitos importantes para nossa saúde.


Tipos de fibras alimentares: insolúveis e solúveis


Fibras insolúveis


Fontes:
Celulose: farelo de trigo, farinha de trigo integral, couve, leguminosas, fava, brócolis, couve-de-bruxelas, pepino, pimentão e maçã.
Hemicelulose: farelo, cereais, grãos integrais, couve-de-bruxelas, mostarda, beterraba.
Lignina: cereais matinais, farelo, verduras, morango, berinjela, pera e rabanete.


A principal ação das fibras insolúveis é a aceleração do trânsito intestinal. Devido à extrema capacidade de retenção de água que elas têm, aumentam em volume e distendem a parede do cólon, facilitando a eliminação do bolo fecal.


Importantíssimo salientar que, ao absorver a água, estas fibras absorvem também eventuais substâncias cancerígenas, prevenindo câncer de cólon.


Fibras solúveis


Fontes: estão presentes em vários produtos como a goma acácia, a pectina e a goma xantana, mas também podem ser encontradas na aveia, castanhas, nozes, feijão, ervilha, soja, lentilha e na polpa de frutas como a laranja, maçã, banana e pera, entre outras.


Este tipo de fibras alimentares aumenta o tempo de exposição dos nutrientes no estômago, proporcionando uma melhora na sua digestão, em particular dos açúcares e das gorduras. Desta maneira, ajudam a regularizar o metabolismo energético para um melhor aproveitamento no desempenho de atividades físicas.


Também ajudam na velocidade do trânsito intestinal, mas sem aumento da absorção de água.


As fibras solúveis provocam reações de fermentação, produzindo altas concentrações de ácidos graxos de cadeia curta, substâncias que promovem a motilidade do conteúdo fecal e regularizam o trânsito intestinal de forma suave. Estes ácidos graxos funcionam como fonte de energia para a mucosa do intestino e como agentes protetores de várias doenças como: diarreia, inflamações intestinais e câncer de cólon.


Esta espécie de fibras forma uma camada superficial suave ao longo da mucosa do intestino delgado, servindo de barreira na absorção de alguns nutrientes, atrasando assim seu metabolismo, essencialmente dos açúcares e das gorduras, o que ajuda a estabilizar o metabolismo energético, controlando os aumentos bruscos da taxa de glicemia.


Pesquisas demonstram que a ingestão de fibras alimentares solúveis ajuda a diminuir a taxa de colesterol.


Elas são digeridas apenas no intestino, onde são expostas à flora intestinal, material necessário para sua degradação. Ao serem fermentadas pelas bactérias da flora, ajudam a diminuir o pH deste meio, favorecendo nossa saúde de várias maneiras. As fibras fermentadas convertem-se em nutrientes necessários para um melhor desenvolvimento das bactérias biofidos e lactobacilos, aumentando favoravelmente a flora bacteriana.


Um dos pontos mais positivos da formação desta grande quantidade de bactérias benéficas é a inibição do crescimento de bactérias malignas. Desta maneira, o sistema imunológico do órgão também se fortalece, prevenindo casos de infecção gastrointestinais e até mesmo de câncer de cólon.


Saiba mais sobre fibras alimentares clicando aqui.


Recomendamos que veja também fibras de aveia e beterraba que podem reduzir o colesterol e fibras mais ervas para um melhor funcionamento do intestino.


Curta nossa página no Facebook e fique por dentro deste e outros assuntos de saúde e bem estar.


Deixe-nos seus comentários logo abaixo.


Gostou deste post? Compartilhe-o com seus amigos:


Nenhum comentário:

Postar um comentário