segunda-feira, 26 de agosto de 2013

20 dicas para ter uma vida saudável




As universidades de Harvard e Cambridge publicaram um compêndio com 20 dicas para ter uma vida saudável de forma prática e habitual:


dicas para ter uma vida saudavel


1- Beba um copo de suco de laranja diariamente para aumentar o ferro e repor a vitamina C.


2- Salpicar canela mantém baixo o colesterol e estáveis os níveis de açúcar no sangue.


3- Troque o pãozinho tradicional pelo pão integral que tem quase 4 vezes mais fibra, 3 vezes mais zinco e quase 2 vezes mais ferro que o pão branco.


4- Mastigue os vegetais por mais tempo. Isto aumenta a quantidade de químicos anti-cancerígenos liberados no corpo. Mastigar libera sinigrina.


5- Quanto menos se cozinham os legumes, melhor efeito preventivo tem.


6- Adote a regra dos 80%: sirva menos 20% da comida que ia ingerir. Evita transtornos gastrintestinais, prolonga a vida e reduz o risco de diabetes e ataques de coração.


7- Faça refeições coloridas como o arco-íris. Comer uma variedade de vermelho, laranja, amarelo, verde, roxo e branco em frutas e verduras, cria uma melhor mistura de antioxidantes, vitaminas e minerais.


8- Coma tomate. O licopeno, um antioxidante dos tomates pode inibir e ainda reverter o crescimento dos tumores. É mais bem absorvido pelo corpo quando os tomates estão em molhos para massas ou para pizza. Então, comer pizza ou massa com molho de tomate ajuda, mas escolha as com pouca gordura.


9- Limpe sua escova de dente e troque-a regularmente. As escovas podem espalhar gripes e resfriados e outros germes. Assim é recomendado lavá-las com água quente pelo menos quatro vezes à semana (aproveite o banho no chuveiro), sobretudo após doenças quando devem ser mantidas separadas de outras escovas.


10- Realize atividades que estimulem a mente e fortaleçam sua memória. Faça alguns testes ou quebra-cabeças, palavras-cruzadas, aprenda um idioma, alguma habilidade nova. Leia um livro e memorize parágrafos.


11- Use fio dental e não mastigue chicletes. Uma pesquisa deu como resultado que as pessoas que mastigam chicletes têm mais possibilidade de sofrer de arteriosclerose, pois têm os vasos sanguíneos mais estreitos, o que pode preceder a um ataque do coração. Usar fio dental pode acrescentar seis anos a sua idade biológica porque remove as bactérias que atacam aos dentes e o corpo.


12- Ria! Uma boa gargalhada é um mini exercício físico: 100 a 200 gargalhadas equivalem a 10 minutos de corrida. Baixa o estresse e acorda células naturais de defesa e os anticorpos.


13- Não descasque com antecipação. Os vegetais ou frutas, sempre frescos, devem ser cortados e descascados na hora em que forem consumidos. Isso aumenta os níveis de nutrientes contra o câncer.


14- Ligue para seus parentes/pais de vez em quando. Um estudo da Faculdade de Medicina de Harvard concluiu que 91% das pessoas que não mantém um laço afetivo com seus entes queridos, particularmente com a mãe, desenvolvem alta pressão, alcoolismo ou doenças cardíacas em idade temporã.


15- Coloque a laranja na sua dieta, que reduz em 30% o risco de câncer de pulmão.


16- Desfrute de uma xícara de chá. O chá verde contém maiores níveis de antioxidantes que o chá preto. Beber ao menos uma xícara diária desta infusão já diminui bastante o risco de doenças coronárias. Cientistas israelenses também concluíram que beber chá diariamente, aumenta a sobrevida depois de ataques ao coração.


17- Tenha um animal de estimação. As pessoas que não têm animais domésticos sofrem mais de estresse e visitam o médico regularmente, dizem os cientistas da Cambridge University. Os mascotes fazem você sentir-se otimista, relaxado e isso baixa a pressão do sangue. Os cães são bons amigos, mas até um peixinho dourado pode causar um bom resultado.


18- Coloque tomate ou verduras frescas no sanduíche. Uma porção de tomate por dia baixa o risco de doença coronária em 30%, segundo cientistas da Harvard Medical School.


19- Reorganize a geladeira. As verduras em qualquer lugar de sua geladeira perdem substâncias nutritivas, porque a luz artificial do equipamento destrói os flavonóides que combatem o câncer que todo vegetal tem. Por isso é melhor usar á área reservada a ela, aquela caixa bem embaixo.


20- Coma como “um passarinho”: sementes de girassol e sementes de gergelim nas saladas e cereais acrescentam nutrientes e antioxidantes; comer nozes entre as refeições reduz o risco de diabetes.


Por último, mais algumas dicas para ter uma vida saudável e alongar a vida:


* Comer um pouco de chocolate faz bem. Duas barras de chocolate meio amargo por semana estendem um ano a vida. O amargo é fonte de ferro, magnésio e potássio.


* Pense positivamente! Pessoas otimistas podem viver até 12 anos mais que os pessimistas, que ademais pegam gripes e resfriados mais facilmente.


* Seja sociável! Pessoas com fortes laços sociais ou redes de amigos têm vidas mais saudáveis que as pessoas solitárias ou que só têm contato com a família.


* Conheça a si mesmo! Aqueles que priorizam o ‘ser’ sobre o ‘ter’ têm 35% de probabilidade de viver mais tempo.


“Escolha a melhor forma de viver, o costume a tornará agradável” – Sêneca.


Recomendamos que conheça um suplemento com 23 antioxidantes para melhorar sua qualidade de vida.


Esperamos que tenha gostado destas dicas para ter uma vida saudável!


Curta nossa página no Facebook e fique por dentro deste e outros assuntos de saúde.


Deixe-nos seus comentários logo abaixo.


Gostou deste post? Compartilhe-o com seus amigos:


segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Como diagnosticar e prevenir problemas da tireoide




Hoje trataremos de um assunto que preocupa a muitas pessoas: os problemas da tireoide.


tireoide ou tiroide é uma glândula em forma de borboleta (com dois lobos), localizada na parte anterior do pescoço, logo abaixo da região conhecida como Pomo de Adão (popularmente, gogó). É uma das menores glândulas do corpo humano e tem um peso aproximado de 15 a 25 gramas (no adulto).


problemas da tireoideAge na função de órgãos muito importantes, como o coração, cérebro, fígado e rins. Interfere também no crescimento e desenvolvimento das crianças e adolescentes, na regulação dos ciclos menstruais, na fertilidade, no peso, na memória, na concentração, no humor e no controle emocional. É fundamental que esteja em perfeito estado de funcionamento para garantir o equilíbrio do organismo.


Comparada a outros órgãos do corpo humano, ela é relativamente pequena, porém, é responsável pela produção dos hormônios T3 (triiodotironina) e T4 (tiroxina), que atuam em todos os sistemas do nosso organismo.


Vejamos agora quais os principais problemas da tireoide


Quando a tireoide não está funcionando adequadamente, pode liberar hormônios em quantidade insuficiente ou em excesso, provocando hipo ou hipertireoidismo.


Hipotireoidismo


Se a produção de “combustível” for insuficiente, provoca hipotireoidismo. Tudo começa a funcionar mais lentamente e o crescimento pode ficar comprometido. Na verdade o organismo nesta situação tenta “parar o indivíduo”, já que não há “combustível” para ser gasto.


Alguns sintomas do hipotireoidismo:


- Depressão
– Desaceleração dos batimentos cardíacos
– Intestino preso
– Menstruação irregular
– Diminuição da memória
– Cansaço excessivo
– Dores musculares e articulares
– Sonolência excessiva
– Pele seca
– Queda de cabelo
– Ganho de peso
– Aumento do colesterol no sangue.


Hipertireoidismo


Se houver produção de “combustível” em excesso, acontece o contrário, o hipertireoidismo. Aí tudo no nosso corpo começa a funcionar rápido demais.


Alguns sintomas de hipertireoidismo:


- Dificuldade de dormir
– Aceleração dos batimentos cardíacos
– Intestino solto
– Agitação (a pessoa fala e gesticula muito)
– Muita energia, apesar de muito cansaço
– Queda de cabelos
– Calor e suor exagerado
– Menstruação irregular.


Em ambos os casos é comum haver um aumento no volume da tireoide, chamado de bócio, que pode ser detectado através do exame físico. Problemas na tiroide podem aparecer em qualquer fase da vida, do recém-nascido ao idoso, em homens e em mulheres.


Diagnosticar as doenças da tireoide não é complicado e o tratamento pode salvar a vida de uma pessoa.


Nódulos


Um dos problemas mais frequentes da tireoide são os nódulos, que não apresentam sintomas. Estima-se que 60% da população brasileira tenha nódulos nesta glândula em algum momento da vida, o que não significa que sejam malignos. Apenas 5% dos nódulos são cancerosos.


O reconhecimento deste nódulo precocemente pode salvar a vida da pessoa e a palpação da tireoide é fundamental neste sentido. Este exame é simples e fácil de ser feito. Uma vez identificado o nódulo, o endocrinologista solicitará uma série de exames complementares para confirmar a presença ou não do câncer.


Dados Estatísticos


Cerca de 10% das mulheres acima de 40 anos e em torno de 20% das que têm acima de 60 anos manifestam algum problema na tireoide. Porém é importante estar atento, pois todas as pessoas, independente de sexo e idade, estão sujeitas a alterações desta glândula.


Algumas estatísticas demonstram que 1 em cada 5 mulheres que procuram seus ginecologistas para iniciar a terapia de reposição estrogênica apresentam, na verdade, problemas tireoidianos.


Auto-exame


Material necessário: um copo com água e um espelho (se possível, de cabo).


1. Segure o espelho e procure no seu pescoço a região logo abaixo do Pomo de Adão (popularmente conhecido como gogó). Sua tireoide está localizada ali.


2. Estenda a cabeça para trás para que esta região fique mais exposta. Focalize-a pelo espelho.


3. Beba um gole de água e engula.


4. Com o ato de engolir, a tiroide sobe e desce. Observe se há alguma protrusão ou nódulos, mas atenção: não confunda a tireóide com seu Pomo de Adão. Repita este teste várias vezes até ter certeza.


5. Ao notar protrusões, procure seu endocrinologista.


Fonte: SBEM – Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia – endocrino.org.br


Esperamos que tenha gostado e achado úteis estas informações sobre os problemas da tireoide.


Recomendamos que conheça um shake com ingredientes naturais.


Curta nossa página no Facebook e fique por dentro deste e outros assuntos de saúde e bem estar.


Deixe-nos seus comentários logo abaixo.


Gostou deste post? Compartilhe-o com os amigos:


segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Conheça os tipos de obesidade




Quanto maior o IMC, maiores são os riscos de se desenvolver doenças relacionadas à obesidade, entretanto, mais importante do que a quantidade de gordura é a maneira como esta se distribui no corpo, pois é aí que está o risco das complicações. Por esse motivo antes de mais nada, você precisa saber quais os tipos de obesidade que existem e qual o que você tem.


Conheça os tipos de obesidade



os tipos de obesidade1 – Obesidade Ginecóide (feminina) ou Periférica


A gordura se localiza principalmente na região inferior do corpo, que compreende os quadris, as nádegas e as coxas. Este tipo de obesidade é mais comum nas mulheres e dá ao corpo o formato aproximado de uma pêra, por isso também é chamado de obesidade em pêra.


2 – Obesidade Andróide (masculina) ou Central


A gordura se deposita predominantemente na região da cintura (barriga). Este tipo de obesidade é mais comum nos homens, e faz com que o corpo se assemelhe a uma maçã, por isto também é chamada de  obesidade em maçã.


Algumas pessoas podem apresentar um tipo misto de obesidade, em que existe tanto um excesso de gordura na região periférica como central do corpo.


Como se avalia na prática estes diferentes tipos de obesidade e qual é o significado deles? É o que veremos a seguir.



A maneira mais fácil de determinarmos o tipo de obesidade é através da medida da cintura.


Para determinarmos a medida da cintura, passamos uma fita métrica em torno do abdômen, na altura da cicatriz umbilical. Nas pessoas nas quais a gordura é localizada um pouco mais abaixo devemos medir a cintura na região onde existe um acúmulo maior de tecido adiposo.


De acordo com o tamanho da sua cintura, poderemos saber qual é o grau de risco em que se encontra no sentido de desenvolver doenças relacionadas à obesidade.























HOMENSMULHERES
Até 90 cm – NormalAté 80 cm – Normal
90-94 cm – Risco Médio80-84 cm – Risco Médio
90-102 – Risco Alto84-88 cm – Risco Alto
Acima de 102 cm – Risco muito altoAcima de 88 cm – Risco muito alto

Relação Cintura/Quadril (RCQ)


Uma outra maneira de avaliar a distribuição da gordura é através da Relação Cintura/Quadril (RCQ). Isto pode ser feito dividindo-se a medida da cintura pela medida do quadril. O quadril deve ser medido passando-se a fita métrica em torno dos glúteos, no seu maior diâmetro , utilizando-se como referencia a altura onde a cabeça do fêmur se encaixa no osso da bacia.


Uma RCQ acima de 0,9 para homens e acima de 0,8 para mulheres é indicativo de excesso de gordura abdominal.


Ao longo das duas últimas décadas, foi observado que aqueles que apresentam uma deposição de gordura na região central do corpo, tem um risco extremamente maior de desenvolverem as clássicas complicações da obesidade – hipertensão arterial, diabetes mellitus tipo 2, alterações do colesterol e triglicerideos, e doença vascular, cardíaca ou cerebral.


É importante ressaltar que, muitas vezes, pequenos aumentos de peso em que a gordura se localiza no abdômem, trazem maior risco do que um aumento de peso maior no qual a gordura se localiza nas regiões mais periféricas. Portanto, é mais importante muitas vezes a localização da gordura do que a quantidade dela existente no corpo.


Isto explica porque as doenças cardíacas e cerebrais como o infarto e os derrames são muito mais comuns nos homens, que tem predominantemente obesidade abdominal, do que nas mulheres, que geralmente são obesas periféricas.


Fonte principal: Dr. Perseu Seixas de Carvalho – Escelsanet


Esperamos que tenha achado úteis estas informações sobre os tipos de obesidade e que tenha conseguido identificar qual o tipo que você tem.


Recomendamos que conheça programas de emagrecimento que funcionam.


Curta nossa página no Facebook e fique por dentro deste e outros assuntos de saúde e bem estar.


Deixe-nos seus comentários logo abaixo.


Gostou deste artigo? Compartilhe-o com seus amigos:


segunda-feira, 5 de agosto de 2013

Como perder a celulite




Aproximadamente 90% das mulheres tem celulite, principalmente nas coxas e no bumbum. Por este motivo, muitas mulheres fazem de tudo para saber como perder a celulite que tanto as incomoda.


Na realidade, são vários os fatores que influenciam na quantidade de celulite que uma pessoa pode ter.


como perder a celuliteBasicamente podemos citar: predisposição genética, falta de exercícios apropriados e uma dieta rica em gorduras. Entretanto, muitas vezes esses fatores se combinam e é impossível culpar exclusivamente um deles.


O que fazer então? Como perder a celulite?


Não existe uma fórmula mágica para se combater a “pele de laranja”.


No entanto, a combinação de uma dieta com pouca gordura e a prática de exercícios físicos é muito eficiente na redução da celulite.


A prática de exercícios aeróbicos pode ser importante para combater a celulite, porém, para resultados mais visíveis, é fundamental fazer exercícios de resistência para tonificar a musculatura que, mais firme, faz com que os tecidos fiquem com a superfície mais uniforme.


Além disso, se você quer combater ou reduzir a celulite e a gordura localizada, siga os conselhos a continuação. 


Dicas para combater a celulite



  • Evite as frituras e os alimentos gordurosos;



  • Evite comer alimentos que contenham açúcar refinado. Se você está a fim de comer um doce, dê preferência as barrinhas de cereais ou de proteínas;



  • Coma muitas fibras, pois elas ajudam a diminuir a absorção da gordura;



  • Evite colocar muito sal na comida. O sal faz nosso organismo reter líquidos e com isso acabamos ficando com um visual “inchado”;



  • Beba muita água ao longo do dia;



  • Evite refrigerantes e bebidas alcoólicas que só fornecem calorias vazias sem nenhum nutriente.


Esperamos que tenha gostado destas informações sobre como perder a celulite.


Recomendamos que conheça um método natural que poderá ajudá-la a acabar com a celulite para sempre. Clique aqui para conhecê-lo.


Curta nossa página no Facebook e fique por dentro deste e outros assuntos de saúde e bem estar.


Deixe-nos seus comentários logo abaixo.


Gostou deste artigo? Compartilhe-o com seus amigos: