segunda-feira, 30 de junho de 2014

Colesterol em excesso: o verdadeiro problema




Estudo feito pelo Instituto Adelphi International Research junto a 1.547 pacientes e 700 médicos, apontou que no Brasil, 80% das pessoas não sabem que o colesterol em excesso pode causar ataques cardíacos, denominação popular para o infarto do miocárdio.


colesterol em excessoO Ministério da Saúde estima que as doenças cardiovasculares causem em média 800 mil mortes por ano no Brasil.


Colesterol em excesso: o verdadeiro problema


Encontrado exclusivamente nos produtos de origem animal, o colesterol é agrupado à família das gorduras.


Além de estar presente nos alimentos que ingerimos (cerca de 30% é fornecido pela alimentação), a maior parte, cerca de 70%, é produzido no nosso corpo, principalmente pelo fígado. É o chamado colesterol endógeno.


Geralmente associado à coisa ruim, o colesterol paga por quase todos os males do coração. Mas pouca gente sabe o quanto ele é importante para o bom funcionamento do organismo.


O colesterol é indispensável na produção dos hormônios masculinos e femininos, na síntese de vitamina D, na construção e restauração contínua das membranas que envolvem as células, na composição do ácido biliar que regula a digestão dos alimentos, entre outras funções.


Por isso, ninguém vive sem colesterol. O importante é tê-lo na medida certa, e para isso devemos monitorar os 30% que ingerimos através da alimentação.


Importante lembrar aqui que, por defeito genético ou enzimático, existem pessoas que produzem muito colesterol no fígado; nesse caso, é extremamente importante que haja o acompanhamento de um cardiologista, com o objetivo de monitorar as taxas do colesterol endógeno.


O colesterol em excesso costuma depositar-se sob a forma de placas nas paredes interiores das artérias, processo chamado de aterosclerose.


Esses depósitos de gordura ricos em colesterol atraem compostos de cálcio que engrossam e enrijecem ainda mais as artérias, levando a arteriosclerose. Com isso, a passagem do sangue é obstruída e coloca em risco o funcionamento do coração, podendo levar ao infarto agudo do miocárdio.


No sangue, o colesterol pode estar livre ou fazendo parte das chamadas lipoproteínas (um aglomerado de colesterol, proteínas e gorduras que circulam pelas artérias e veias).


O colesterol LDL é o que participa da formação das placas de gordura que obstruem as artérias. Sua elevação é indesejável e deve ser combatida. Chamamos o LDL de “colesterol ruim“.


Já o colesterol HDL, chamado de “bom colesterol“, não participa do processo de obstrução das artérias e tem ainda um efeito protetor, porque retira o colesterol dos tecidos e o leva para o fígado onde é eliminado ou reaproveitado.


Portanto, quanto maiores forem os níveis de HDL, mais se evita a obstrução das artérias pela aterosclerose.


Fonte principal: Jocelem Salgado.


Esperamos que tenha gostado deste post sobre o colesterol em excesso.


Recomendamos que conheça um suplemento à base de Ômega 3 que ajuda a reduzir o mau colesterol.


Fique por dentro deste e outros assuntos de saúde: visite nossa página no Facebook e clique em “Curtir”.


Gostou deste post? Compartilhe-o com seus amigos:



Nenhum comentário:

Postar um comentário