quarta-feira, 26 de abril de 2017

Os riscos dos defensivos agrícolas nos alimentos

Hoje falaremos dos perigos da intoxicação por agrotóxicos ou defensivos agrícolas, mas antes vejamos que são e por que continuam sendo utilizados no meio agrícola.
Também conhecidos como agroquímicos, trata-se de produtos que são adicionados às culturas para aumentar a proteção das plantas contra pragas e doenças que as danificam (insectos, ervas daninhas, fungos, parasitas, bactérias, etc.) durante a colheita ou após a mesma.
De acordo com dados da FAO (Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura), atualmente as pragas e doenças estragam de 25 a 35% da safra mundial e as ervas daninhas em torno de 10%.
Todos os pesticidas, herbicidas, inseticidas e fungicidas utilizados aumentam a produção global de alimentos ao protegê-los contra pragas e doenças. Estes produtos melhoram a aparência dos vegetais, ajudam a prolongar a vida útil e protegem os consumidores de alguns perigos (como a contaminação por fungos).
Os defensivos agrícolas são seguros para o consumidor?
Hoje em dia no Brasil os defensivos agrícolas estão regulamentados por leis específicas, tanto no referente à sua produção e uso, quanto à sua venda.
Os produtos agroquímicos só podem ser vendidos sob a prescrição e controle de um engenheiro agrônomo.
Por outro lado, os defensivos agrícolas atualmente aprovados são biodegradáveis, ou seja, se degradam no ambiente com o passar do tempo. Quer dizer que, se corretamente utilizados, não causam riscos.
Leia mais: Os riscos dos defensivos agrícolas nos alimentos.

quarta-feira, 19 de abril de 2017

O açúcar refinado faz mal para a saúde

Neste artigo veremos por que o açúcar refinado faz mal para a nossa saúde. Mas será que o ser humano sempre consumiu tanto açúcar como hoje em dia?
Na realidade não: até aproximadamente 300 anos atrás a humanidade não usava aditivos doces na sua dieta ordinária.
Em contrapartida, hoje somos uma civilização consumidora de milhares de toneladas diárias de açúcar refinado.
São poucas as pessoas que resistem a uma torta de morangos brilhando na vitrine da confeitaria. Parece que ela está ali, chamando você para comê-la, e a tentação muitas vezes é saciada com um bom pedaço.

Saiba por que o açúcar refinado faz mal para a saúde
O açúcar branco dissolve os dentes e os ossos, contudo, todos seus efeitos são lentos e acumulativos, drenando a saúde aos poucos.
É descalcificante, desmineralizante, desvitaminizante e um empobrecedor metabólico. Por isso não pode ser considerado um verdadeiro alimento, mas um poderoso antinutriente.
Quem ingere muito açúcar refinado fica dependente e tende a ter menos força.
Leia mais: O açúcar refinado faz mal para a saúde.

quarta-feira, 12 de abril de 2017

A melhor dieta para emagrecer com saúde

A maioria já tentou alguma vez na vida reduzir a gordura ou aumentar sua massa muscular. Mas sempre fica a grande dúvida diante de tantas opções: qual a melhor dieta para emagrecer com saúde?
Acontece que nessa luta pela boa forma e peso adequado, infelizmente vale tudo!
Desde dietas miraculosas ou baseadas em mitos, até programas nutricionais focados no estilo de vida saudável e desenvolvido por grandes autoridades em nutrição.
No entanto, o resultado muitas vezes é o mesmo: alguns quilos a mais na balança, depois de ter tido um início bastante encorajador.
Qual a melhor dieta para emagrecer com saúde, preservando os músculos?
A resposta para essa questão pode estar numa pesquisa realizada por especialistas da Universidade Harvard e publicada no The New England Journal of Medicine.
Este estudo concluiu que, o que determina se a pessoa vai emagrecer ou não, é a quantidade total de calorias que ela ingere na sua dieta.
Ou seja, o emagrecimento só ocorrerá se houver um balanço energético negativo, quando o consumo de calorias dos alimentos for menor do que o gasto de energia.
Sabendo que todas as dietas que promovem uma redução de calorias vão resultar numa diminuição de peso, resta entender o porquê algumas pessoas obtêm ótimos resultados enquanto outras vão passar a vida inteira lutando contra a balança.
Leia mais: A melhor dieta para emagrecer com saúde.

sexta-feira, 7 de abril de 2017

O que causa celulite e como eliminá-la

Neste artigo veremos primeiramente o que causa celulite e, no final, compartilharemos com você algumas dicas que vão lhe ajudar a resolver este problema.
Aproximadamente 90% das mulheres tem algum tipo de celulite, principalmente nas coxas, nos glúteos e nas laterais do abdômen.
Na realidade não existe apenas um fator desencadeante do processo que leva à formação dos furinhos, pois podem ser várias as causas da celulite.
Basicamente podemos citar a predisposição genética, a falta de exercícios apropriados e uma dieta rica em gorduras, entre muitos outros.
Entretanto, a maioria das vezes esses fatores se combinam e é impossível culpar exclusivamente um deles.
Descubra agora o que causa celulite
A continuação, relacionamos alguns dos principais fatores que podem levar ao desenvolvimento da temida e antiestética "pele de laranja", prejudicando a estética, a saúde e a qualidade de vida da mulher.
- Hormônios descontrolados
Quando algumas glândulas produzem hormônios de forma descontrolada, podem provocar uma acumulação de líquido e toxinas no tecido conjuntivo, contribuindo para a formação da celulite.
- Má postura
Devido à má postura do corpo, a circulação pode não ser a adequada e a celulite poderá desenvolver-se mais facilmente.
Leia mais: O que causa celulite e como eliminá-la.

quarta-feira, 5 de abril de 2017

Consequências da obesidade

Todos nós sabemos que gordura não é sinônimo de saúde, mas muitas pessoas ainda parecem não ter se conscientizado de que as consequências da obesidade podem ser realmente muito graves.
Hoje compartilhamos com você o resultado de duas pesquisas que demonstraram que a obesidade pode provocar a morte se não for levada a sério.
Morte prematura é uma das graves consequências da obesidade
As estatísticas confirmam que a obesidade está crescendo cada vez mais, trazendo com ela um maior risco de diabetes tipo II e outras doenças crônicas graves. 
O pior de tudo é que os pesquisadores já confirmaram o que há muito tempo se suspeitava: a obesidade pode provocar a morte prematura.
Veja a continuação o resultado de um estudo sobre este assunto.
O Journal of the American Medical Association publicou um estudo que mostra que a obesidade parece diminuir a expectativa de vida, especialmente entre os jovens adultos.
Os pesquisadores compararam o Índice de Massa Corporal (IMC) com a longevidade e descobriram uma correlação entre a morte prematura e o IMC mais alto.
Por exemplo, estimou-se que um homem branco de 20 anos, 1,75m, pesando 140 quilos com um IMC maior que 40 pode perder 13 anos de vida como consequência da obesidade.
Leia mais: Consequências da obesidade.